Estudantes atendem crianças do Colégio Gustavo Dobrandino

Os acadêmicos do curso de Psicologia matutino, Jordana Ramires; Rogério Conceição; Silvana Angelini; Thais Ynara e Bianca de Moraes, desenvolveram o projeto sobre “Inteligência Multifocal”, em uma turma da 7ª série do Colégio Estadual Gustavo Dobrandino da Silva, sob a orientação da coordenadora Lissia Pinheiro.

A aplicação do projeto surgiu da necessidade da escola em atender as dificuldades de uma turma de 25 alunos com desempenho ruim. Dessa forma, foram realizados 10 encontros para trabalhar a autoestima deles, por meio de atividades, dinâmicas e a interação em grupo.

O encerramento do projeto aconteceu no Lar do Velhinhos de Foz do Iguaçu, nesta quinta-feira (23), onde foi realizado atividade de pintura em tecido em que os alunos do Colégio Gustavo Dobrandino ajudaram, cerca de 15 idosos, a expressarem seus sentimentos por meio de pintura e desenhos. Segundo a acadêmica Jordana Ramires, essa atividade foi organizada para que eles pudessem interagir com esses velhinhos. “Buscamos com a visita causar um impacto, para que eles sentissem uma outra realidade, que se sentissem úteis para si mesmos e para o próximo”, comenta ela.

A coordenadora da instituição, Neusa Gonçalves, destaca que essas ações são importantes para dar horas de lazer para os idosos. “Esses velhinhos se sentem lembrados e queridos pela sociedade quando participam dessas atividades”, ressalta.

Janine Guilhen, Pedagoga da escola, destacou que o projeto contribuiu muito para melhora do aprendizado da turma. “Esse projeto foi muito importante, para que os alunos aprendessem a se respeitar mais e a respeitar o outro. Essa visita ao lar contribuiu para que eles tivessem outra visão do próximo”, destaca a professora.

A estudante Thalita Machado, 12 anos, diz que aprendeu a se relacionar melhor com os colegas. “Antes do projeto os alunos desrespeitavam os professores e entre eles mesmos. Depois do projeto conseguimos nos unir mais, e participar de atividades com mais alegria e integração”, disse a aluna.

Para o estudante Hyohan Vidal, de 13 anos, o projeto foi muito importante para turma, mas o que mais o chamou a atenção foi visitar os idosos. “Eu percebi que os velhinhos estão sendo bem cuidados e não sabia que eu poderia visitá-los quando quisesse. Eles são muito queridos e quero chamar mais pessoas para fazermos atividades com eles”, planeja o estudante.

O projeto dos acadêmicos de Psicologia contribuiu muito com a autoestima e o respeito na vida escolar e familiar desses estudantes. A estudante Mariana Damaceno, 12 anos, destaca que o bullying entre os amigos já não existe mais. “Eu aprendi coisas legais como respeitar meus amigos e controlar os meus sentimentos. E, durante a visita ao lar, um senhor me deu conselhos que vou levar para minha vida: respeitar nossos amigos e principalmente nossos pais”, desabafa Mariana.

Kailane Alderette, estudante de 13 anos, comenta que gostou muito da atividade de pintar com os idosos, “foi muito divertido e interagimos bastante, eles mostraram seus sentimentos nos desenhos. Foi muito legal poder interagir com eles”, comenta.

Sobre a Uniamérica: A Faculdade Uniamérica adota o método de aprendizagem ativa, pelo qual o aluno é protagonista de seu desenvolvimento acadêmico, profissional e pessoal. Desse modo, desde o primeiro semestre os estudantes participam de projetos integradores, desenvolvendo ações concretas que contribuem para o desenvolvimento da região. A instituição oferece cursos de graduação, pós-graduação, cursos independentes de extensão para acadêmicos e profissionais já formados, além de escolas de iniciação científica e cursos de idiomas.​