Evento apresenta problemas reais para serem solucionados em projetos de estudantes  

A Uniamérica está realizando a 1ª Semana de Integração Uniamérica – Empresa e Comunidade, entre os dias 05 a 09 de fevereiro, promovendo palestras, bate papo em sala de aula e talk shows, com objetivo de abrir um espaço de diálogo e reflexão para empreendedores, empresas e a comunidade, debatendo sobre problemas reais da sociedade, que possam ser aplicados como temas de projetos dos alunos durante o semestre.
Nesta quinta (08) o evento contou com a participação de ONG’s, entidades sociais entre outras empresas parceiras. A Semana da Integração é um importante espaço para aproximar comunidade e Uniamérica, para que o estudante desenvolva soluções para desafios reais da sua profissão desde o primeiro semestre de aula, potencializando o profissional ainda mais para o mercado de trabalho.
Durante o talk show, o economista Adnan El Sayed, ex-Diretor de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Foz, que esteve à frente da administração da Agência de Empregos, apresentou a falta de qualificação profissional para preenchimento das vagas ociosas de emprego, contanto com a contribuição do setor educacional para desenvolver estratégias de capacitação para comunidade. “Precisamos firmar essas parcerias, por meio de cursos e oficinas, pois sozinhos não vamos a lugar nenhum. Essa proposta da Uniamérica tem muitas chances de contribuir para o ciclo de desenvolvimento do município”, destaca Adnan.
Ronaldo Cáceres, fundador do projeto “Um Chute para o Futuro”, disse que na ONG existem várias demandas que podem ser solucionadas pelos estudantes, pois o projeto não tem ajuda da prefeitura, apenas de voluntários e doações. “Hoje atendemos cerca de 298 crianças, além das crianças do Paraguai que não tem documentação e precisam de atendimento”, comenta Ronaldo.
Tatiana Guimarães, da Fundação Nosso Lar, comentou sobre a intervenção judicial que está colocando em risco de extinção a entidade social. “Estamos deixando de realizar proteção e acolhimento institucional e familiar às crianças do município. Falta projetos para cultura, esporte, lazer, educação e realizar diagnóstico social dos problemas que envolvem esse público”, disse Tatiana.
Para Giuliano Ginani, atividades como essa contribuem para que a Uniamérica se torne um polo de resolução de problemas da comunidade, através de projetos de alunos, tornando-se um grande aprendizado ao portfólio dos acadêmicos, para projetos baseado em demandas reais da cidade.