Alunos de Engenharia de Software e Pedagogia criam sistema de gamificação para estudos de matemática em Escola Pública

Projetor integrador entre cursos de Engenharia de Software e Pedagogia quer melhorar o aprendizado da matemática em estudantes do ensino fundamental

TAGS:  {{ tag }}
20.08.19

Que matemática é algo que a maioria das crianças possui dificuldade para aprender já se sabe, mas há maneiras diferenciadas e até divertidas de expor conceitos muitas vezes complexos.

Com isso em mente, acadêmicos da Engenharia de Software em conjunto com estudantes da Pedagogia da UniAmérica estão desenvolvendo uma aplicação para gamificar o aprendizado da matemática para alunos do ensino fundamental de uma escola pública de Foz do Iguaçu.

Iuri Lacerda, aluno do curso, conta que a proposta do projeto é auxiliar crianças que tenham dificuldade em raciocínio lógico e matemática por meio de um jogo que melhore e analise o progresso de aprendizagem da criança. Em sua primeira versão, o jogo já conta com perguntas e respostas objetivas e no futuro, possibilitará o acompanhamento individual das crianças pelos professores. “Identificamos que com a metodologia tradicional, o aluno tende a não se interessar por assuntos como matemática e nosso jogo visa despertar a curiosidade e a valorização do aprendizado”, comenta Iuri.

Iuri ainda destaque que “poder desenvolver o que se quer e onde quer recebendo o suporte que precisa da faculdade é muito bom, os professores são capacitados e nos ajudam mesmo que precisemos de algo que está fora da nossa trilha de aprendizagem e nos direciona para o caminho certo. O curso em si tem uma curva de aprendizado muito grande, pois o que se aprende na trilha você usa na maioria das coisas que vai fazer”.

A coordenadora do curso de Pedagogia Erika Mallmann comenta que o uso do jogo e da tecnologia como ferramentas facilitadoras no ambiente escolar e não escolar, contribuem efetivamente para a promoção da aprendizagem. “O sistema de gamificação proposto pela integração entre os cursos de graduação tem como diferencial a ideia de formar o profissional que atua como voluntário no laboratório de informática para trabalhar com o uso da tecnologia em prol da aprendizagem dos estudantes”, finaliza.

Segunda a coordenadora do curso de Engenharia de Software Márcia David “é incrível o que se pode fazer quando se tem um contexto de uso efetivo das metodologias ativas de aprendizagem, corpo docente capacitado e comprometido, alunos desafiados e também comprometidos com o processo de aprendizagem, uma certa dose de liberdade, criatividade e muito, muito trabalho”.

https://youtu.be/sAZa8l7AC40